sábado, 9 de julho de 2016

O pastor Samuel Ferreira não passa de mais um fariseu moderno




Eu, Waldecy Antonio Simões, internauta ativo na propagação da Palavra de Deus, pertenço a uma das 398 congregações pelo mundo que santificam o sábado como o Dia do Senhor, portanto somos os remanescentes que não aceitaram a subserviência ao papado romano de tantos erros. Siga o Link:


http://gospel-semeadores-da.forumeiros.com/t12521-todas-as-igrejas-que-guardam-o-sabado. 

“Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo”. Romanos 9:27

Mostraremos, ao final, Jesus santificando os sábados; a Igreja Primitiva santificando os sábados e até a Igreja do apóstolo Paulo, décadas após a Ressurreição de Jesus, levando quase toda a cidade a louvar aos sábados (e nunca um só domingo)

É impressionante a hipocrisias dos que se dizem pastores de Deus, que gozam de grande prestígio em suas congregações, mas que o agridem com alta gravidade a Palavra de Deus, e pior: ainda ousam ensinar errado!  Ensinar errado agrava sobremaneira o pecado.

Neste caso, refiro-me ao pastor Samuel Ferreira, presidente da Assembléia de Deus no Braz, São Paulo. Vamos provar, aqui, sempre fundamentado nas Escrituras, que ele côa mosquitos, mas engole camelos dos bem grandes. Se preocupa com sua doutrina, mas agride, com alta gravidade, a Palavra de Deus Escrita que, no caso aqui, não dá margem a dupla interpretação como vamos mostrar e provar à Luz das Sagradas Escrituras.

Eu, Waldecy Antonio Simões, walasi@uol.com.br, declaro que ao final de 2015, fui pessoalmente, na ADEBRAS, na avenida Celso Garcia 560,  entregar ao pastor Samuel Ferreira alguns escritos bem trabalhados a respeito da validade perpétua dos sábados e da inutilidade do tal domingo no Evangelho. Esperei, esperei por meses e ele não se dignou a me responder, mesmo eu lhe pedindo que pelo menos acusasse o recebimento através de meu E-mail, tampouco se dignou a avisar ter recebido, mas nada.  

Enviei a ele novamente, por carta registrada e novamente ele ignorou, pois sabia que se respondesse, não teria saída em minhas argumentações fortes a respeito da validade perpétua do Decálogo por inteiro, e é por isso que o nomeio um fariseu, senão um hipócrita da religião.

Devemos nos lembrar que aqueles fariseus que acusaram Jesus de violar os sábados santos, ele, o Mestre, nomeou-os de FILHOS DO DIABO, pois Jesus lhe respondeu que apenas APARENTAVA que ele violava os santos e benditos sábados do Pai:

Vós tendes por pai o diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira. Mas, porque vos digo a verdade, não me credes”.   João 8:44 – 45 

“Se o homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei de Moisés não seja quebrantada, indignais-vos contra mim, porque no sábado curei de todo um homem? Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça”.  Jesus, em João 7:23 a 24
  
Portando, eu afirmo segundo Jesus, que também hoje quem ousar afirmar que Jesus violava os sábados, trabalhava aos sábados é um filho de Satanás! Não sou eu quem inventou isso, pois trata-se da Palavra do Filho de Deus Vivo!

Jesus revela NO EVANGELHO que o sábado foi criado para o homem, e nunca um domingo!

“O sábado foi estabelecido por causa do homem.  Marcos 2:28  (Texto completo colocado abaixo)

De que adianta ele, Samuel Ferreira, ter estudado tanto, se uma venda lhe cobre os olhos impedindo-o de vislumbrar a Verdade? 

Com certeza ele bloqueou sua mente e anestesiou sua consciência para não ter de ingressar nas dificuldades da santificação do Sétimo Dia, o Dia Santo e Bendito do Senhor.

De que adianta ser um teólogo, “conhecer a Bíblia” se foge do mais importante Mandamento de Deus, o único estabelecido na Criação do Universo; o único nomeado pelo Senhor de Santo e Abençoado e ainda estabelecido como UM SINAL ENTRE ELE E A HUMANIDADE?  Ezequiel 20:20.

De que adiante gritar vitórias em seus sermões, recebendo aplausos, fazer teatrinhos assim como faz o Malafaia, se ambos ensinam errado aos que os ouvem? (Falando em Malafaia e no pr. Paulo Romeiro, ambos fizeram-se de surdos e não tiveram a mínima humildade pelo menos de ter acusado o recebimento de minhas missivas pessoalmente levadas a eles, como também por correio registrado)



Até um leigo em Bíblia, se meditar, se raciocinar, vai concluir que se o Senhor escreveu pessoalmente as suas 10 leis nas Rochas Sagradas e  se Jesus bradou que podem se destruídos os Céus e a Terra antes que das leis se retire um caractere, se o Senhor Deus tivesse “se arrependido” de cravar o seu Quarto Mandamento das Rochas mediante a ressurreição de Jesus, ele, o Senhor, Deus Perfeito e Coerente, teria nos avisado, por escrito no Evangelho, direta e de modo contundente que a partir da ressurreição de Jesus o SÁBADO ESTARIA CANCELADO!  Seria possível a anulação de um de seus Mandamentos a partir de um Deus que Nunca Erra e que suas promulgações são “imexíveis”?

Continuando e REPETINDO pela alta importância: Esse pastor Samuel Ferreira, Paulo Romeiro e a quase totalidade dos pastores evangélicos  se desviam do mais importante Mandamento de Deus, porque Está Escrito que é o único Mandamento Instituído na Criação; o Único chamado pelo Criador como Santo e Bendito, e ainda instituído como Um Sinal entre ele e a Humanidade.

“Santificai os meus sábados, pois servirão de sinal entre mim e vós, para que saibais que eu sou o SENHOR, vosso Deus”. Ezequiel 20:20. 

A maioria dos fariseus modernos, tal como os citados, vale-se de um ardil para tentar se safar da obrigatoriedade da guarda também do Quarto Mandamento ensinando que as leis, principalmente o Quarto Mandamento, foram dadas pelo Senhor Deus aos Israelitas, assim também como foi instituído como UM SINAL entre Deus e Israel, destilando farisaísmo e hipocrisia. Por quê?

Porque os que se dizem pastores evangélicos têm a plena obrigatoriedade de saber que na época do Monte Sinai só havia UM POVO que acreditava em Deus: Israel, assim também como a Humanidade da época se resumia em Adão e Eva, por isso mesmo Está Escrito que o Decálogo cravado nas Rochas Sagradas das Leis para que nunca se apagassem, foi dado a esse povo, assim como o SINAL DE DEUS, também a nós outros no Evangelho.

Ora, mas os fariseus, assim como o pastor Samuel Ferreira, fogem da Verdade que ele bem conhece, mas por causa de sua doutrina do domingo não se preocupa em meditar, em RACIOCINAR que Está Escrito no A.T. e no Novo, que o Senhor Deus não faz diferença de pessoas, pois todos são iguais perante ele. Se todos são iguais, não há como separar Israel de nós outros.

Está Escrito, também, em Efésios 2:14, que a parede que nos separava dos israelitas foi derrubada FORMANDO UM SÓ POVO. O Evangelho ainda revela que agora somos um só povo.

Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio. Efésios 2:14

No Evangelho há quase dez versos que revela que o Senhor Deus não faz distinção de pessoas, pois todos são iguais perante ele.

Está Escrito, também, por Paulo, plenamente inspirado pelo Espírito Santo que nós somos os legítimos herdeiros dos israelitas, então, essa historia tola e sem nexo de que o Decálogo e o Sinal de Deus foram dados aos israelitas é conversa fiada, é uma mentira deslavada, pois se a parte bíblica que revelam as promulgações das leis de Deus só valesse para Israel, os pastores evangélicos não poderiam, de modo algum, buscar a legitimação do Dízimo e as promessas em Malaquias, nem poderiam citar Isaías, Daniel, Jeremias, os Salmos e por aí afora, pois foram escritos por israelitas para os israelitas. Dois pesos e duas medidas?

Somos os verdadeiros herdeiros dos israelitas, do Decálogo, atestado pelo Espírito Santo:

“E todos os profetas, a começar por Samuel, assim como todos os que depois falaram, também anunciaram estes dias. Vós sois os filhos dos profetas  e da aliança que Deus estabeleceu com vossos pais, dizendo a Abraão: Na tua descendência serão abençoadas todas as nações da Terra”.  Atos dos Apóstolos 3:24 - 25.

“Vai, pois, escreve isto numa tabuinha perante eles; escreve-o num livro, para que fique registrado para os dias vindouros, para sempre, perpetuamente”.  Isaías 30:8.

A respeito do verso acima, de Isaías, será que esse pastor teólogo e exegeta que tem a sua sala lotada de diplomas de cursos  não sabe avaliar que se Deus Pai mandou Isaías escrever suas Palavras para que fique registrado valendo para a época e para todo o sempre, imagine, então, o que o próprio Criador escreveu pessoalmente e ainda nas duras Rochas Sagradas das Leis, justamente para que nunca se apagassem, pois papiros se dissolvem com o tempo.  Quanto a isso, digo que é impressionante o farisaísmo dos tais teólogos e dos altos entendidos em assuntos bíblicos, assim como o tal pastor Samuel Ferreira, que côa mosquitos, mas engole camelos.

O que o Senhor promulga é para sempre, assim como a promulgação a Adão e Eva ainda estão em vigor.

“O sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado; de sorte que o Filho do homem é, também, o Senhor do sábado”.  Jesus Cristo, em Marcos 2:28, respondendo à irritação dos judeus quando permitiu que seus amigos colhessem espigas (Mateus, 12:1), com o objetivo de mostrar que o amor de caridade tem de sobrepor-se a toda e qualquer lei, pois é maior que a fé (1Coríntios 13:13) e, por isso, tem de sobrepor-se até mesmo ao mandamento do Sábado, pois seus amigos estavam com fome pelas longas caminhadas.  Da mesma forma, Jesus citou Davi que, com fome, ele e os seus amigos avançaram e comeram dos pães sagrados do templo, coisa proibida até para o rei, pois em ambos os casos não se poderia transferir a solução para o dia seguinte. Essa é a regra do sábado santo.

 Nesse preceito Jesus legitima o sábado mais uma vez: o sábado foi criado pelo Deus Imutável  por causa do homem.  Portanto, enquanto existir o homem na Terra os sábados terão de ser observados, pelo menos pelos cristãos.  E inegavelmente é mais uma Verdade do Senhor Deus que não pode ser contestada por ninguém, e de modo algum!

Quanto a ser o Senhor do sábado, Jesus também afirmou que é maior que o Templo (Mateus 12:– maior que Abraão (João 8:57) maior que Jonas (Lucas 11:32) Maior que Salomão (Mateus 12:42) e mais importante que Jacó, sem desmerecer qualquer um deles.

Para o homem sábio, apenas essa revelação de Jesus anula TODAS as pretensões dos domingueiros.

Está Escrito nas Cartas de Pedro e em Isaías que Deus nunca muda suas promulgações. Como, então, alguns pretendem fazer Deus mudar?

Seca-se a erva, e cai a flor, soprando nela o Espírito do Senhor. Na verdade o povo é erva. Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente”. Isaías 40:7.

Porque toda a carne é como a erva, e toda a glória do homem como a flor da erva.Secou-se a erva, e caiu a sua flor, mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada”.  I Pedro 1:24.

Então, não está provado que a Palavra de Deus permanece eternamente?  Está provado ou a Palavra de Deus mente?

Então, se realmente a Palavra de Deus permanece eternamente - não pode mudar em suas promulgações à humanidade -, vamos a uma das mais importantes promulgações de Deus Pai:

“Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra.   Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas.  Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou”. Êxodo 20:8-11

Veja no verso em vermelho, acima, que LEGITIMA O SÁBADO COMO O DIA DO SENHOR!

Portanto, quem fugir dessa Verdade é um fariseu completo, não importam suas desculpas sempre esfarrapadas quanto tenta mudar, por sua conta e risco, o Santo e Abençoado Sétimo Dia do Senhor. E o pastor Samuel Ferreira está nesse grupo por sua conta e risco, pois ensina ERRADO.

"Se o homem recebe a circuncisão no sábado, para que a lei de Moisés não seja quebrantada, indignais-vos contra mim, porque no sábado curei de todo um homem?
Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça” Jesus, em João 7:23 a 24

“E, tomando a palavra o príncipe da sinagoga, indignado porque Jesus curava no sábado, disse à multidão: Seis dias há em que é mister trabalhar; nestes, pois, vinde para serdes curados, e não no dia de sábado.   Respondeu-lhe, porém, o Senhor, e disse: Hipócrita, no sábado não desprende da manjedoura cada um de vós o seu boi, ou jumento, e não o leva a beber?   E não convinha soltar desta prisão, no dia de sábado, esta filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás tinha presa?”.    Lucas 13:14-16

E, estava ali um homem que tinha uma das mãos mirrada; e eles, para o acusarem, o interrogaram, dizendo: É lícito curar nos sábados?  E ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que tendo uma ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não lançará mão dela, e a levantará?   Pois, quanto mais vale um homem do que uma ovelha? É, por consequência, lícito fazer bem nos sábados.  Então disse àquele homem: Estende a tua mão. E ele a estendeu, e ficou sã como a outra.  E os fariseus, tendo saído, formaram conselho contra ele, para o matarem”.  Mateus 12:10-14

“E os escribas e fariseus observavam-no, se o curaria no sábado, para acharem de que o acusar.  Mas ele (Jesus) bem conhecia os seus pensamentos; e disse ao homem que tinha a mão mirrada: Levanta-te, e fica em pé no meio. E, levantando-se ele, ficou em pé.   Então Jesus lhes disse: Uma coisa vos hei de perguntar: É lícito nos sábados fazer bem, ou fazer mal? salvar a vida, ou matar?   E, olhando para todos em redor, disse ao homem: Estende a tua mão. E ele assim o fez, e a mão lhe foi restituída sã como a outra.  E ficaram cheios de furor, e uns com os outros conferenciavam sobre o que fariam a Jesus”.   Lucas 6:7-11

Vamos então conferir que dia da semana era solenemente guardado e santificado pela Igreja Primitiva:

“E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler”. A respeito de Jesus, em   Lucas 4:16.  

Não importam as interpretações contra, sejas elas quais forem, pois o que importa é que Jesus se fez mostrar santificando o sábado e assim transmitiu para sua Igreja nos concedendo o exemplo. Os fariseus contestam essa Verdade, dizendo que se Jesus era Judeu, é certo que comparecia ao templo num sábado. Ora, que cretinice: Se o Espírito Santo de Deus quisesse (como quis) nos mostrar, como exemplo, Jesus Cristo santificando os sábados sagrados de Deus Pai, como nos revelaria isso senão do modo como está escrito?   Está Escrito que Jesus, coerentemente, santificava os sábados de Deus Pai, praticando a OBEDIÊNCIA, que para nós é a primeira condição para a salvação, logicamente segundo Jesus, como está bem informado no meu blog abaixo:


Antes da ressurreição de Jesus, os cristãos faziam do sábado um dia de louvor:

O sábado ia começar. Ora, as mulheres que tinham ido da Galiléia com Jesus, indo, observaram o sepulcro onde fora colocado o corpo de Jesus. Voltando, prepararam aromas e bálsamos. No sábado, observaram o repouso, segundo a Lei”.  Lucas 23:55 - 56.  A Igreja de Jesus, nos concedendo o exemplo.

Então, Jesus ensinou sua Igreja a ser também legalista!  Vejamos a Igreja Cristã aos tempos de Paulo, mesmo depois da ressurreição de Jesus os cristãos de Paulo faziam do sábado um dia de culto e louvor:

No dia de sábado, saímos fora da porta, junto ao rio, onde julgávamos haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido”. Atos dos Apóstolos 16:13. 

Esse preceito revela, com toda clareza, de modo irrefutável, um culto de louvor aos sábados pelos cristãos. As mulheres cristãs sempre trabalhavam, só não aos sábados. Então, segundo o preceito acima, estavam em dia de descanso, santificando os sábados assim como os homens!  Mas fariseus de quase todas as denominações, também católicos e ortodoxos alegam que a Igreja de Jesus santificava o tal domingo. É possível uma tolice dessas com tantas Verdades indiscutíveis a favor do sábado?

“No sábado seguinte, concorreu quase toda a cidade para ouvir a palavra de Deus, mas os judeus, vendo aquela concorrência, encheram-se de inveja...”.  Atos 13:41 - 44. 

Se os judeus encheram-se de inveja por ver quase toda a cidade a louvar os sábados  ao AR LIVRE, pois não caberia nem num grande templo, então não se tratava, indiscutivelmente de uma reunião judia aos sábados, mas sim de um culto cristão que reuniu quase toda a cidade para louvar no sábado.  A Palavra Escrita registrou essas duas revelações e várias outras idênticas colocadas a seguir como veremos, exatamente para revelar-nos que o sábado sempre será o Dia do Senhor, não importa que no catecismo católico, como também na maioria dos seguimentos evangélicos esteja completamente diferente da Proclamação do Deus Imutável:

 A Palavra Escrita registrou essas duas revelações e várias outras idênticas colocadas a seguir, exatamente para nos revelar que o sábado sempre será o Dia do Senhor.

 “E todo o sábado, ensinava na sinagoga, persuadindo tanto judeus como gregos”. Atos 18:4.  

Os defensores do domingo, inventado, argumentam, falsamente, que Paulo comparecia às sinagogas dos judeus aos sábados, porque era nesse dia que podia encontrá-los, mas não é o caso aqui, pois pela sua tradição jamais aceitariam que gentios pagãos - no caso presente os gregos - participassem de cerimônias em seus templos, em simples reuniões e nem mesmo aceitavam permanecer com eles ou com outros pagãos no mesmo ambiente. Sabemos que o santo em vida Paulo não ensinava somente aos judeus, mas também aos gentios e aos demais pagãos. Quanto a isso, se os primeiros cristãos guardavam o sábado mesmo após a ressurreição de Jesus, só isso prova a Grande Mentira do tal domingo, um feito gigantesco de Satanás.

Em Atos dos Apóstolos, conforme a tradição dos apóstolos de santificarem os sábados, um preceito é usado como referência ao Quarto dos Mandamentos:

“Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado Olival, que dista daquela cidade tanto como uma jornada de sábado...”.  Atos 1:12.           Ora, ao se referirem a uma jornada de sábado como exemplo pelos apóstolos de Jesus, é certo que se tratava de um preceito em uso.

 “Orai para que vossa fuga não se dê no inverno, nem no sábado”. 


Jesus Cristo, em Mateus 24:20, ressalta, novamente, a grande importância do sábado (nem no inverno que é muito frio, o que dificultaria a fuga dos inimigos romanos (na terrível  carnificina, no massacre contra os judeus nos anos 70/73, no episódio Massada), nem nos sábados porque é o Dia Santo de Deus, consagrado para descanso e louvor.

“E dizia-lhes: Bem invalidais o mandamento de Deus para guardardes a vossa tradição”.  Jesus, em Marcos 7:9.

Waldecy Antonio Simões    walasi@uol.com.br

Todos os meus escritos são livres para publicações, desde que os textos não sejam modificados.

Abaixo,  meus blogs que têm tudo a ver com as leis de Deus:















http://ainfalibilidadedospapasewabsurda.blogspot.com.br/






























                                                          













































                            












 Waldecy Antonio Simões. walasi@uol.com.br

Todos os meus textos são livres para publicações, desde que os textos não sejam alterados

Eu sou a voz que clama na Internet.

 “Então, no Reino do Pai, os justos resplandecerão como o Sol”.  Promessa de Jesus, em Mateus, 13.43